Experiência Internacional

Corpo Docente Internacional

No corpo docente da Nova School of Business and Economics, a característica dominante é a diversidade e origens - 30 nacionalidades diferentes estão representadas no grupo de professores, desde o Brasil à China.

A  internacionalização está também patente na formação do corpo docente -  85% dos professores residentes obtiveram o seu grau de doutoramento no estrangeiro, em universidades europeias ou norte-americanas.

Ensino em Inglês

A visão internacional da Nova SBE reflete-se, entre outros aspetos, na adoção do inglês como língua de ensino. O 2º e 3º anos da licenciatura são integralmente lecionados em inglês, sendo que no 1º ano damos a oportunidade aos nossos alunos de escolher entre 3 opções: integralmente em inglês ou português, e misto (aulas de cálculo e álgebra em português e as restantes em inglês). Além disso, a totalidade das cadeiras dos programas de Mestrado, MBA e Doutoramento são lecionadas em língua inglesa.

Este facto contribui para que 1  em cada 5 alunos nos últimos anos do curso seja estrangeiro, permitindo a interação e convivência entre diversas culturas. Por outro lado, os nossos alunos vão adquirindo domínio sobre uma língua que é, nos dias de hoje, fundamental para um desempenho profissional internacional. O vetor de internacionalização é vivido na Faculdade pela atmosfera criada por professores e alunos estrangeiros que convivem e interagem diariamente nos corredores.

Oportunidades para Estudar no Estrangeiro

Os nossos alunos terão a oportunidade de estudar numa Universidade estrangeira ao abrigo do programa Erasmus bem como de outros programas de Intercâmbio. O Programa Erasmus – programa comunitário de cooperação para a educação – tem um papel fulcral na internacionalização da nossa Faculdade, permitindo aos alunos estudar temporariamente em instituições congéneres na Europa, sendo possível o reconhecimento de equivalências.

Regra geral, anualmente, a Nova SBE envia cerca de 350 alunos para estudar numa das mais de 200 universidades, em cerca de mais de 50 países, com as quais tem acordos bilaterais, incluídos no programa Erasmus, mas também noutros acordos de intercâmbio fora da Europa. Em certos casos, é possível beneficiar de uma bolsa para cobrir as “despesas  de mobilidade” dos estudantes, designadamente as despesas de viagem e as resultantes da diferença do nível de custo de vida. O número de bolsas disponíveis é limitado. 

Para os acordos  bilaterais com escolas de países fora da Europa que não estão abrangidos pelo Programa Erasmus, não é possível a atribuição de uma bolsa de mobilidade para os destinos correspondentes. No entanto, é possível obter financiamento para o Brasil, através do Banco Santander (os detalhes e condições devem ser tratados na Reitoria da Universidade Nova de Lisboa).

Paralelamente, a Nova SBE recebe anualmente cerca de 350 alunos estrangeiros para quem desenvolve várias atividades de receção - como a Welcome Meeting no início do semestre - e outros encontros sociais e culturais com vista à integração destes alunos.